Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2008

Iceberg

ela sempre deixa pra chorar em casa, e respira porque não lhe deram escolha alguma .
ela é e sempre vai continuar sendo egoísta e irónica, repesando os adjetivos pra não se perder no caminho que ela mesmo fez.
um caminho que até agora ela não sabe onde vai dar, um caminho que não enfeita o chão com folhas secas e brisa fresca.
quando ela dorme ela tem espasmos, e guarda suas crises sufocantes debaixo da mesa para consumir depois do almoço.
ela esqueceu como se canta, esqueceu como se vive.
ela inveja os autores de auto-ajuda aos grandes escritos e poetas que gorgeam pelo mundo afora.
ela não se expressa bem, escreve razoavelmente centrada, mas não para o próprio bem, e nem para o do leitor .
ela não se lembra mais da própria humanidade, e não lamenta mais pelas grandes perdas.
ela é insegura e assombrada por transtornosobsessivos compulsivos.
ela é fria e dura como gelo.
o iceberg falido que nem mais o oceano lembra de esquecer.
não como o do Titanic que tem seu próprio navio particular pra dest…

Escuro ;

quando você enxerga no escuro não tem explicação. geralmente você anda atado, com dois nós nos pulsos e uma na garganta ..
quando você enxerga no escuro você tateia o nada e luta pela esperança de encontrar alguma coisa concreta, alguma coisa menos densa e solitaria ..
você pode ouvir de longe inúmeras soluções, mas nenhuma chegam até você com clareza, nenhuma lhe parece sã de coinciencia ..
quando você tateia o escuro você pode enxergar com os olhos do coração o que algum outro cego deseja, mas isso não serve pra você ..
geralmente você só senta e espera que alguém encontre o próprio interruptor e acenda a luz ..
procurar se tornou algo furtivamente solitário e cansativo .. algo que te anestesia com o gosto quente das lágrimas e te enobrece com a simetria fria dos lábios ligeiramente para baixo num sentido não muito feliz ..
você pode sentir o quanto é difícil pro seu rosto se concentrar em uma posição de tristeza, com frequência você o escuta gritando pelo objeto preto por alguma ajuda qu…

Terminal

e os seus dentes batem
uma, duas, mil vezes . e o corpo dói diante da convulsão que chega a espreita da janela, não para de tremer ..
as bochechas quentes, os olhos umidos e vermelhos, com a expressão profana de sempre ..
o coração já bateu oito vezes, mas ninguém veio abrir, ritma a palpitação com os pés .
os dedos congelaram, nada da cintura pra baixo, só um tremor entorpecido de agonia e desespero ..
olha pelo vidro do trem, e a névoa lambe o rosto dos devotos ..
o cabelo gorduroso seca e o sol da meia noite continua a pairar sobre a cabeça dos enfermos ..
perdeu o sentido, perdeu a graça .. perdeu o motivo .
só espera na estação, só sossega os olhos em algo que se movimenta como uma pluma se movimentou um dia, dança com o cheiro de vela queimada e escuta de longe o sentimentalismo do alcoolatra compondo letras que alguém podia um dia roubar ..
sem se preocupar com quem fez ou sentiu, sem se dar conta de gotas salgadas pousadas sobre o violão ..
respira o pouco de ar puro que sobreviveu a t…