Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2009

2010

considerando a teoria de que daqui a 2 anos e alguns dias nós vamos morrer segundo os maias, nada mais fácil e compreensivel do que aproveitar os últimos segundos de 2009 e desejar mudanças positivas para o ano que vem chegando. Nada mais cliché, porém saudável, esperar que coisas novas e excepcionais aconteçam no ano que vem nascendo, mas uma noticia importante : nada vai mudar. O teu cabelo pode crescer, você pode conhecer alguma pessoa ou coisa nova, pode se apaixonar e blábláblá .. mas o mundo vai continuar acontecendo e girando no seu padrão normal, e acredite: você não é ninguém tão especial a ponto de revolucionar esse agente natural da vida. Nas agonizantes ultimas horas de 2009 eu vou pular sete ondas, comer sete uvas, jogar flores e jóias a rainha Iemanjá, vou fazer um pedido, e ficar olhando a lua encoberta denunciar um novo eclipse no céu, sim eu vou. Criarei esperanças e metas pro dia seguinte, pra semana seguinte, talvez eu faça até uma oração, então .. quando o dia aman…
um riso baixinho por debaixo das cobertas tentando não parecer amedrontado e histérico demais pra ecoar sobre o comodo da casa, as coisas se distorcem com o tempo percebeu, e nem tudo é mais como deveria ser. do canto dos olhos as lágrimas pulam como em suicídio em direção a boca, curvada e ancorada para baixo como um animal sem vida esticado no chão. eu confesso, não tenho mais forças pra levantar daqui, cruzar a porta, descer as escadas, caminhar pela rua, ver gente conhecida e ter que mostrar os dentes, eu não tenho mais tanta vontade. então, vou tentar apagar, botar em diminuto todos os sentimentos e antes prioridades na minha vida, vou tirar o som da TV e imaginar coisas mais bonitas sendo ditas, coisas que enobreceriam minha alma se ela ainda pertencesse a mim. eu não me drogo, nem vou me drogar, se me perguntar 'quem é a thamara' eu não vou saber responder em palavras curtas, e nem longas . As pessoas gritam comigo, me pedem pra voltar e para agir conforme o combinado, …

Na beira do cais

E lá na beira do cais eu pude ver o meu barquinho de papel partir .. vagarosamente as águas do oceano lamberam seu casco sem que eu percebesse, escurecendo a minha folha perfumada e minuciosamente marcada para formar uma dobradura. Naquela noite eu não dormi, fiquei assistindo as curtos passos do meu brinquedo na água, se distanciando melancolicamente de mim, mediucre que sou, e se aproximando dos primeiros raios de sol daquela alvorada. Penso eu que nunca me foi valido um barco de papel, pois tão frágil que era, eu mesmo dona, tive medo de tocar, estragar e amassar a criatura que agora trepida na água insegura e obstinada, esperando encontrar lá longe uma cura para todas as doenças que eu causei. Doravante tomo pra mim a percepção do dever de fazer com que as coisas realizem o que nasceram para fazer, eu deveria ter previsto e não contido a indomável vontade do ser em si. Tocando a ponta dos dedos na água eu vislumbro a corrida da proa até o horizonte para então encontra-lo, a possib…

qual a idade certa pra crescer ?

só algumas observações da minha pouca jornada de vida :

comentário da viajante:

eu to cansada de chorar as minhas dores, dissecar a minha perspectiva, chegou a hora de falar de algo novo, e ao mesmo tempo velho pra mim. é muito fácil se perder em meio a tantas polémicasinúteis e cotidianas, é muito sutil se deixar levar pelos sentimentos, se perder neles, eu não tenho intenção de ensinar nada a ninguém, nem mudar seu jeito de ser, na verdade eu só tento me doutrinar a escolher o certo, mas eu nunca escolho.

- quando é que as pessoas se tornam obsessivas a ponto de confundirem arrogância e egoísmo com auto confiança e prazer ? eu me canso de tentar discernir e obter algum tipo de reconhecimento em torno disso, e me pergunto a cada instante: qual a idade certa pra crescer ? penso eu que a diferença entre infância e delinquencia juvenil não se baseie só em estatura e o numero de palavras pronunciadas, pelo contrario, o silencio me mostra mais do que qualquer ser humano poderia me dizer, mas…