Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2010

De olhos fechados

a vida é complicada, sim. mas a história sempre se desenrola, agente sempre descobre novos pontos de vista, sempre desata um nó criando um novo.
o fato é que sempre existe outra estrada, paralela a essa, em que você também pode ser o protagonista se quiser, sendo vilão ou mocinho, feliz ou sofrido, mas sempre vai existir um lugar para você.
as coisas mudam, as pessoas transitam, os sentimentos se inovam, se transformam, doem o quanto tem que doer e proporcionam alegria a quem é de direito.
o difícil esta em tomar iniciativa, dar o primeiro passo para a vida que você visa, ou não visa mas quer viver, assim, de olhos fechados, dançando sabe-se lá com quem, sendo guiado apenas por seus pés, uma mão na cintura ou talvez na nuca, nada que não te proporcione medo, nada que não te deixe inseguro, nada além de se permitir.
o pecado esta onde queremos vê-lo, se a ansiedade não aliviar nunca meu caro, lhe digo com prazer: você esta VIVENDO !

ThamaraMorgan

Travesseiro

perceba que a verdade pode não estar tão explicita assim, que meu amor acaba a margem do rio, e corre para longe como criança a beira do mar. medo eu não mais tenho, a luz cegou meus olhos, tatuou cicatrizes e pintou minha pele com o amargo féu dos desamores, eu não vou mais te inventar. uma vez eu li que o amor é assim: ou você o sente com toda intensidade que o ser humano pode esboçar, ou não há nada no mundo que o faça sentir. você pode até fingir que ama, ser cúmplice, amigo, fiel, mas a tal bênção divina nunca te atingiu, ta estampado no seu rosto.
talvez amanhã, quando eu despertar denovovocê não apareça no travesseiro, tua voz não toque meus ouvidos, nem tuas palavras rasguem meu coração, mas hoje, chorar alivia, mas não me cura do teu mal. O esgotamento físico mental vem disso, se dedicar por completo, se entregar por inteiro, e fracassar, simples. O choro carimba as palavras, as torna dignas, verdadeiras, as lágrimas tornam real o seu sentimento abstrato, destrutivo e infelizm…
eu fico me perguntando: onde é que eu vim parar ?
a cabeça dói, a garganta dói, o coração ..
seria mais que normal chorar num ritual fúnebre como esse, num velório
com você lá é claro, tu prometeu. promessas e mais promessas, tudo muito fácil de cumprir.
os meus sonhos enterrados no mesmo fosso de pensamentos que me fez estar aqui, grande detalhe, mínima desconfiança, muito esforço para algo morto, gélido e pálido como um dia frio dentro de mim, a hipotermia vai me matar, as mentiras também vão estar lá, todo mundo junto, com velinhasacesas, comemorando o meu fim, que legal :D

quem sabe o que é ter e perder alguém ? (8)