Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2011

sem pressa, mas tambem sem espera

desisti de tudo que me faz mal, de tudo que me maltrata, me consome. abandonei as cartas, a janela, a lágrima. me cansei de acordar, de lembrar, de remendar. agora não sobrou nada, só aquela poeira chata que causa alergia e quando você varre, acaba encontrando meses depois debaixo do tapete. mas a essa altura não tem mais importância. com que frequência você espera acordado ? descobri que as pessoas sentem o que sentem, mostram o que tem, e quando se ama, o melhor sempre aparece, seja esse adjetivo bom ou mal ao endereçado, mas isso só é discutível e avaliado depois, as vezes é tarde. aquela musica que você usa como trilha sonora, que você ensaia na mente enquanto almoça, toma banho, conversa com os amigos, essa segunda pele, segunda mente, intuição, só serve para tirar o sossego dessa vida aqui, dessa realidade dura da gente. acabei me dobrando em sentimentos, abrindo mão de orgulho, dignidade, fé, e o que recebo não é um adeus, é um talvez. voltamos ao principio. ser feliz é uma opç…

Carpete mofado

parou na porta, observou por alguns instantes o tapete, e decidiu entrar. algumas tentativas antes da chave girar a tranca, abrindo espaço para um universo inerte, vazio como uma folha de papel em branco, esperando para ser escrita, mas sem nenhuma intenção de pedir, de se mover. tirou os sapatos, deixou as meias suarem o pé, caminhou pelo cómodo principal como desconhecida, sem reconhecer o apartamento que um dia fora seu, e que apesar de ainda ter suas coisas, o passado arrancou-lhe das mão como o vento faz com as folhas das árvores no outono. a estação não era esta, mas servia ali dentro, para sempre outono, primavera. verão não, nem o inverno. de frio já bastava o coração, palavras cuspidas e dedos do pé. continuou a mergulhar pelas paredes do local, a luz parecia acesa, mas não estava, tentou o interruptor, a lâmpada funciona, sorriu e soltou um grunhido para si mesma, como quem fala com os mortos, ou com os objetos ali presentes ; " imagina, sobrou luz, ainda podemos ficar …

e não tentar prever serviu pra eu me enganar

um dia como esse, no qual mosquitos zumbem sobre minha pele trazidos devido ao calor intenso, que emana não de mim, mas dessa tarde ensolarada e monótona, uma dessas ocasiões, me faz pensar sobre o que fazer com o livro que ficou sobre a mesa, a foto jogada em cima da cama, a canção que se repete em minha cabeça mesmo quando o silencio permanece intacto aqui dentro. uma vez li em uma das minhas insaciáveis procuras por martha medeiros que a dor do coração é inevitável, mas o sofrimento é opcional. opcional. a pergunta erguida em minha muralha destruída hoje é " o que fazer com os cacos de vidro, com as sobras de sentimento, com caixa de doces vazia, incompleta ? " a decisão tomada nesse instante é que não quero e nem posso suprir minhas necessidades usando excesso de sentimentalismo barato pra me comover, seja na tv ou na vida real. resolvi que alguns fantasmas do passado voltam sempre, e que se eu não encontrar e enxergar também o coração deles, eles me dominam. chega a ser…

não resiste

-Quando a noite chegar cedo e a neve cobrir as ruas, ficarei o dia inteiro na cama pensando em dormir com você.
-Quando estiver muito quente, me dará uma moleza de balançar devagarinho na rede pensando em dormir com você.
-Vou te escrever carta e não te mandar.
-Vou tentar recompor teu rosto sem conseguir.
-Vou ver Júpiter e me lembrar de você.
-Vou ver Saturno e me lembrar de você.
-Daqui a vinte anos voltarão a se encontrar.
-O tempo não existe.
-O tempo existe, sim, e devora.
-Vou procurar teu cheiro no corpo de outra mulher. Sem encontrar, porque terei esquecido. Alfazema?
-Alecrim. Quando eu olhar a noite enorme do Equador, pensarei se tudo isso foi um encontro ou uma despedida.
-E que uma palavra ou um gesto, seu ou meu, seria suficiente para modificar nossos roteiros.

Caio Fernando Abreu

saudade

eu sempre ouvi sobre a palavra saudade, sempre tive como definição a falta, a ausência não consentida, que faz o coração disparar com um pensamento que chega de repente, como um ladrão invadindo sua casa a noite, abalando todas as suas bases, te pegando desprevenida. sempre soube da saudade indisposta, aquela que bate, aperto o peito, te faz soltar algumas lágrimas, e as vezes até .. sorrisos. sempre ouvi sobre saudade.
hoje vejo que tudo que agente pensa ser real sobre a saudade não existe, e acho que saudade é isso, não a ausência, a falta .. mas o inexistente. claro, existe aquele sentimento do passado, do que foi, que te golpeia com memórias e destrói o coração, momentaneamente.
pra mim saudade é mais do que sede, ou fome. pra mim saudade não é calor, nem frio. esse tipo de coisa agente supre com um cobertor, ou um copo suado de agua gelada.
a saudade que tenho não pode ser escrita, não pode ser mencionada, nem se quer tocada. a saudade que tenho apenas me deixa sobreviver. comer, do…

só as coisas que você não quis me fazem companhia

Respirar vem em pares exceto em dois momentos: o começo de alguém e o adeus de alguém / thefray - enough for now !

olha, estou feliz as vezes, pensando menos em você, tirando pela hora de colocar a cabeça no travesseiro, eu sonho, isso é gostoso por algumas horas, o difícil é acordar. estou evitando falar de você, estou evitando te achar nas minhas coisas, " e cada vez que eu fujo eu me aproximo mais, e te perder de vista assim é ruim demais ". esta claro que por mais que exista sentimento, este não é suficiente para nos fazer mudar, ou nos mudou sim, ou ME mudou, pois hoje eu penso mais em mim, penso na estabilidade de um relacionamento, penso mais na paz, por favor, não tire esta de mim. descobri que posso te ver todos os dias, acho que ninguém tem noção disso, olhar pela janela, e observar você agir como se nada tivesse acontecido, observar meu coração em seu bolso, e sentir esse vazio no lado esquerdo do peito. tenho ficado doente com frequência, tenho dado risadas, tenho…
"Meu coração está sossegado,
não se trata de reacender chama alguma.
Este encontro acidental só confirmou o que eu sempre soube:
que aquele amor foi uma vaidade extrema de minha parte..." Martha Medeiros

rapte-me camaleoa !

Pode invadir ou chegar com delicadeza, mas não tão devagar que me faça dormir. Não grite comigo, tenho o péssimo hábito de revidar. Acordo pela manhã com ótimo humor mas ... permita que eu escove os dentes primeiro. Toque muito em mim, principalmente nos cabelos e minta sobre minha nocauteante beleza. Tenho vida própria, me faça sentir saudades, conte algumas coisas que me façam rir, mas não conte piadas e nem seja preconceituoso, não perca tempo, cultivando este tipo de herança de seus pais. Viaje antes de me conhecer, sofra antes de mim para reconhecer-me um porto, um albergue da juventude. Eu saio em conta, você não gastará muito comigo. Acredite nas verdades que digo e também nas mentiras, elas serão raras e sempre por uma boa causa. Respeite meu choro, me deixe sózinha, só volte quando eu chamar e, não me obedeça sempre que eu também gosto de ser contrariada. ( Então fique comigo quando eu chorar, combinado?). Seja mais forte que eu e menos altruísta! Não se vista tão bem... gost…
sabe, pretendia escrever sobre o quanto me incomoda a sua distancia, o quanto me maltrata ver os outros casais tão parecidos com nós dois, mas eu sei e você sabe, que nunca vamos estar próximos da igualdade. ocasionalmente me contento com sua lembrança, penso em chorar por ti, por nós, mas sua ausência me basta. acabei chegando a essa conclusão da pior forma, me sentindo como um detento a espera de sua própria execução, pois sei, que junto desta, caberá ao inquisidor acabar com esse amor. pois então que o faça. não há tortura maior do que os fatos, aqui agora expostos, de seu descaso que de mim, você não havia de esperar, sorte sua, azar o meu. hão de vir outros amores, pois que venha. hão de vir outras dores, por favor, substituam essa que aqui posta está, entregue à alguém que a mereça, pois a herança de sofrer por mim deixo agora pra você.

ThamaraMorgan

sonhando comigo .. (?)

você acorda. me liga. pergunta como estou e como dormi. diz que sentiu saudade porque teve um sonho bom comigo, eu tento um sorriso. você fala com alguém da casa e me deixa esperando, muda, até que acabe, e tudo que ouço é " tenho que ir, já nos falamos ". você desliga, e eu fico aqui escutando o telefone zumbir tudo aquilo que eu queria dizer, finjo uma conversa. por fim desisto, coloco o aparelho no ganho e vou pra onde ? venho até o quarto. avisto minha imagem refletida no espelho colado na parede suja e umida, chego perto. meus olhos me dizem para parar agora, desistir da farsa, jogar as cartas. mas se desisto, quem passo a ser ? acabei de me lembrar de ontem a noite, ás 4, imaginei sua casa. me forcei a lembrar dos detalhes, ela estava vazia como sempre. o seu cheiro nos cômodos centrais, a pouca luz e a tv ligada, como eu queria. resolvo subir as escadas, passo pelo corredor que poucas vezes atravessei, entro em seu quarto. porque você mudou tudo de lugar ? continuo re…