Pular para o conteúdo principal
“Só nós dois sabemos que não se trata de sucesso ou fracasso. Só nós dois sabemos que o que se sente não se trata — e é em nome deste intratável que um dia nos fez estremecer que agora nos separamos. Para lá da dilaceração dos dias, dos livros, discos e filmes que nos coloriram a vida, encontramo-nos agora juntos na violência do sofrimento, na ausência um do outro como já não nos lembrávamos de ter estado em presença. É uma forma de amor inviável, que, por isso mesmo, não tem fim.”
Martha Medeiros

é, não posso dizer que tudo esteja completamente fácil, as noites frias tem se congelado mais ainda, e os dias tornaram-se mais longos, e meu nariz continua escorrendo, e não enxugo mais meus olhos na manga da blusa. tudo esta no lugar, mais ainda sinto o hematoma sob minha pele se contrair, latejando para que eu não possa esquece-lo. o tempo tem cuidado disso também. a temperatura do ar, os intervalos de respiração. é claro que meu coração ainda continua mole e quente, mas consegui aquele cobertor, aquela capa de chuva, aquele abrigo inesperado no relento, tudo que pode -penso eu- aguentar o tranco de mais uma tempestade de nuvem, vento e neve que trazem as recordações.
ThamaraM.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Por Favor

por trás de olhos que não se vê, você descobre a cor do próprio paraíso.
o inferno que guarda toda vez que o vê, toda vez que o sente.
eu quero pular em seu pescoço e dizer que não era pra ser diferente, que é assim que é
mas eu não quero, prefiro economizar minhas energias para o depois, para a boa vinda do amanhã.
eu quero água escorrendo dos seus olhos enquanto me observa chegar, e um suspiro que eu possa entender quando sua mão tocar a minha.
o meu silencio dói e meu peito repele uma explosão toda vez que você chega perto.
você poderia parar e ver isso, por favor, você pode observar, porque até mesmo os tolos intendem, até eles riem das minhas marcas, será que você pode perceber ?
não existe amanhã querido, se o meu hoje desmoronar.

ThamaraMorgan_por favor não o faça.

2 mesês de luxuria

minha vontade é mandar chupar um prego, mas minha boa educação não permite.

pra onde vai os princípios depois que os pulsos já estão cansados de sangrar, onde é que se enfio os 'por favor' 'muito obrigado' depois que se abre mão da própria vida ..
eu quero engolir essas pílulas para dormir então eu não tenho que fazer uma má impressão eu preciso começar a ser eu mesma porque eu estou ficando cheia de todos ;
eu engoli um vidro inteiro de remédio para dormir e me deitei com a sensação de que não acordaria, isso me excita .. talves um dia eu não acorde de verdade mas minha alma terá entrado em um estado maior do que a prisão do próprio corpo .. embriagada pelo orgasmo que deve ser morrer ..
você se prende em quatro paredes e começa a sufocar até que o ar acaba .. dai você se sente confortável .. igual fez a vida inteira .. as piores besteiras, as melhores orgias .. mas era sempre igual .. corpos coagindo uns aos outros ao ponto máximo do prazer .. em vão .. pra no final acab…

Olhei mais não vi .

Hoje eu tenho algo a revelar, tenho algo que eu nem imaginaria que aconteceria essa manhã, algo clichê no qual acontece em musicas tristes e em alguns devaneios.

Pois bem,
Esta tarde, entrei na internet com o intuito de encher de perguntas varias pessoas, de bater boca e de dizer eu te amo de verdade verdadeira. Contudo, a cara rumo que minha conversa ia tomando percebi que eu estava errada em tentar brigar pelo que eu penso e que não conseguiria mudar o mundo em si; algumas frases aleatórias de pessoas diferentemente importantes pra mim me causou nó na garganta, descutir parou de valer a pena no instante da primeira lagrima caida no teclado, eu a fitei com os olhos e não achei um porque de sua existencia, como tambem não achei para a minha.Sai da intenet. Desliguei o computador insistentemente sem perceber o intuito de meu pai de tambem usar. Fui tomar banho sob protestos e resmungos deste. Liguei o choveiro. As lagrimas cairam juntamente com a água. Meus olhos já não estavam mais abe…